Processo de recebimento de gás natural na UNICAMP entra em fase final

Processo de recebimento de gás natural na UNICAMP entra em fase final

Gás natural na Unicamp com obras em andamento no campus sede.

Em dezembro de 2020 foi assinado o contrato de fornecimento de gás natural com a Comgás, concessionária que atua em Campinas, para a substituição do GLP (Gás liquefeito de petróleo) nas principais unidades consumidoras do campus de Barão Geraldo: HC, Caism, FEA, FEF, Restaurante Universitário e Restaurante Saturnino. A estratégia foi proposta pela DEPI e aprovada na COPEI em 2020.

As obras da Comgás para a canalização do gás natural estão em andamento no campus, e devem estar concluídas até o final deste mês para disponibilidade de consumo, a depender das adequações internas das unidades consumidoras, o que também está em andamento.

Segundo os estudos realizados pela DEPI, a universidade poderá ter uma economia da ordem de R$ 200.000,00 ao ano com essa substituição. Além disso, há questões relacionadas à sustentabilidade e diminuição de riscos, conforme pontuado pelo Plano Diretor Integrado:

  • Existem riscos ambientais e de segurança apresentados pelo uso do gás liquefeito de petróleo devido a forma de armazenamento e distribuição em botijões; 
  • As recomendações do Corpo de Bombeiros e da CETESB são voltadas para o uso de gás natural canalizado como substituição ao gás liquefeito de petróleo, de forma que a Unicamp atenderia algumas das solicitações para obtenção do AVCB de alguns edifícios e da renovação da Licença de Operação da área da saúde. 
  • O GN é um combustível originário de matéria orgânica sedimentar e pode ser obtido através da queima de biomassa, com purificação do biogás gerado pela decomposição de matéria orgânica (nesse caso, combustível renovável) ou através de reservas subterrâneas originadas pela decomposição de matéria orgânica sedimentar (nesse caso, combustível não-renovável) e comumente associado ao petróleo. 
  • O GN canalizado distribuído pela Comgas é de origem fóssil e, por isso, não representa uma fonte de energia renovável. Apresenta, além da segurança contra os riscos, a vantagem do transporte sustentável, pois a canalização elimina a necessidade da distribuição por caminhões. 
  • Em relação aos ODS, o uso de GN canalizado está associado ao ODS 11-Cidades e comunidades e comunidades sustentáveis, devido a redução de riscos ambientais e pessoais; ao ODS 12-Consumo e Produção Responsáveis, devido a distribuição contínua e a não armazenamento e ao ODS 13-Combate às alterações climáticas, devido a canalização, que reduz a quantidade de veículos/caminhões nas ruas e, consequentemente, reduz a emissão de gases de efeito estufa. 

Com o gás natural instalado no campus, há também projetos em andamento de cogeração de energia junto à estratégia de eficiência energética conduzida pelo Prof. Luiz Carlos, da Câmara Técnica de Gestão de Energia/GGUS. Os estudos estão sendo feitos, por enquanto, na FEF.

Rota da canalização de gás natural:

 

Confira as fotos do processo que está em andamento na galeria abaixo: