Unicamp amplia rede de solidariedade e doações

Unicamp amplia rede de solidariedade e doações

Desde o início das mobilizações no país em torno do combate ao coronavírus, a Unicamp vem trabalhando em diversas áreas da saúde, ciência e dos serviços prestados às comunidades interna e externa na busca por soluções para a crise provocada pela pandemia. Para isso, a universidade conta com o apoio de parceiros na captação de recursos materiais e financeiros e organizou as possibilidades de colaboração em três áreas de doações: área de saúde e pesquisa, de ensino e de solidariedade. Recentemente, duas novas campanhas foram lançadas, uma para aquisição de cestas básicas a famílias carentes de Campinas e outra para a compra de novos equipamentos para o Hospital de Clínicas (HC) e Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism).

Saúde e pesquisas: novos equipamentos, doações financeiras e de materiais

Lançada recentemente pela Unicamp, a campanha de arrecadação emergencial para o combate à Covid-19 vai receber doações para a aquisição de novos equipamentos para os serviços de saúde da universidade. A meta é arrecadar R$ 2 milhões para a compra de um novo tomógrafo para o Hospital de Clínicas (HC) e um aparelho de ultrassom móvel com dopler colorido para os atendimentos realizados pelo Hospital da Mulher (Caism), bem como equipamentos de proteção individual para os profissionais da saúde. Além de ampliar a capacidade de atendimentos das duas unidades, as aquisições vão tornar mais seguro o trabalho junto aos pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado da Covid-19. As doações serão recebidas por meio da campanha disponível no Instituto Incentive, o pagamento pode ser feito por cartão de crédito ou boleto bancário. Acesse a página da campanha aqui.

Centro de referência para os casos graves da Covid-19 no Estado de São Paulo, o HC atende a uma macroregião de 86 municípios, o que compreende cerca de 6,5 milhões de habitantes. Por ano, o hospital realiza, integralmente pelo SUS, mais de 13 mil internações, 420 mil consultas ambulatoriais e cerca de 72 mil atendimentos de emergência. Para o combate ao coronavírus, foram instalados 98 novos leitos de enfermaria, 30 novos leitos de UTI adulta e 4 novos leitos na UTI pediátrica, além de tendas para o atendimento exclusivo de pacientes com os sintomas da Covid-19.

Um dos exames necessários para o diagnóstico da Covid-19 é a tomografia computadorizada do tórax, que mostra aos médicos as condições do pulmão dos pacientes e pode indicar fortes indícios da doença. Hoje, o hospital conta com dois equipamentos, mas o ideal é que a capacidade para exames seja ampliada. “Estamos atualmente com dois tomógrafos em uso, mas eles são mais antigos, que podem precisar de manutenção, o que reduz a capacidade de exames feitos. Além disso, com os pacientes suspeitos de Covid-19, é importante deixar um aparelho específico para esses pacientes, para não colocar em risco os demais. Quando o mesmo aparelho é utilizado, é necessário fazer a assepsia do equipamento e de toda a sala, o que consome mais tempo e recursos”, explica o Dr. Antonio Gonçalves Filho, superintendente do HC. Ele também explica que novos equipamentos são mais rápidos e utilizam menos radiação, beneficiando pacientes e profissionais da saúde.

Já o Caism, que se dedica ao acompanhamento pré-natal, obstétrico e pós-parto de mulheres e bebês, incluiu em seus atendimentos a atenção com as pacientes que apresentam suspeitas ou têm o diagnóstico confirmado da Covid-19. Para tornar os atendimentos mais seguros para gestantes, puérperas e recém-nascidos, o hospital pretende adquirir um equipamento de ultrassonografia móvel. “Esse equipamento permite que a ultrassonografia, que é um exame fundamental para o acompanhamento das gestantes, seja feito diretamente no leito do hospital, sem a necessidade de elas ficarem se deslocando, o que aumenta o risco de contaminação pelo coronavírus. Com isso, o atendimento se torna mais humanizado”, detalha o Dr. Luiz Otávio Sarian, superintendente do Caism. Segundo o médico, os recém-nascidos também são beneficiados por não precisarem se deslocar pela unidade. “(O equipamento) também serve para exames nos bebês, o que pode ser feito diretamente na UTI Neonatal, sem precisar tirar os bebês de lá. Isso aumenta muito a segurança e a saúde dos bebês”, comenta.

Além do atendimento médico e hospitalar para o diagnóstico e tratamento dos casos da doença, a Unicamp trabalha intensamente em pesquisas que auxiliam no combate à pandemia. As ações são coordenadas por mais de 400 profissionais de várias áreas do conhecimento integrantes da Força-Tarefa Unicamp contra a Covid-19. Entre as pesquisas já realizadas e ainda em andamento estão o desenvolvimento de um teste para o diagnóstico da Covid-19, realizado por pesquisadores do Instituto de Biologia (IB), e os testes feitos pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM) com medicamentos para o tratamento da doença.

A área de saúde e pesquisas recebe doações em dinheiro para a aquisição de insumos, EPIs, testes diagnósticos e outros recursos necessários para os trabalhos. As transferências ou depósitos podem ser feitos em: Banco do Brasil, 001, Agência 4203-X, Conta Corrente 44.427-8, CNPJ 46.068.425/0001-33. Você também pode contribuir com doações de bens de consumo e permanentes, equipamentos e empréstimos em comodato pela plataforma Solidariedade à Pesquisa, que funciona como um mural eletrônico para promover o encontro de quem tem algo a oferecer e quem precisa de auxílios para a realização de pesquisas. A plataforma conta com a parceria da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Solidariedade: apoio a famílias em vulnerabilidade

Outra campanha lançada recentemente é a Unicamp Solidária, área de solidariedade das ações, que é coordenada pela Diretoria Executiva de Planejamento Integrado (Depi) da Unicamp e tem o apoio da Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (Funcamp). Ela é realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (SMASDH) de Campinas e tem o objetivo de arrecadar fundos para a compra e distribuição de cestas básicas a famílias em situação de vulnerabilidade.

Marco Aurélio Lima, diretor executivo da Depi, explica que a iniciativa de realizar uma ação solidária partiu do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel. Para isso, procuraram conhecer o trabalho já realizado na cidade para atendimento da população carente. Segundo ele, a melhor forma de ação identificada foi a de apoiar a estrutura da secretaria municipal, que fornece alimentos a famílias carentes por meio do Banco de Alimentos de Campinas, ampliando sua capacidade de atendimento. “Nos impressionou que a cidade tem aproximadamente 32 mil famílias cadastradas, cerca de 100 mil pessoas, mas a capacidade da secretaria atende a apenas 6 mil famílias. Pensamos então que o melhor a fazer é apoiar essa estrutura existente na cidade, ampliando essa capacidade”, destaca Marco Aurélio.

Com isso, a campanha pretende arrecadar recursos para a aquisição de cestas básicas que serão doadas ao Banco de Alimentos de Campinas. Os valores serão arrecadados por meio da Funcamp, que fará a prestação de contas das arrecadações e da quantidade de cestas doadas ao banco. As doações podem ser feitas por boleto bancário, transferência ou cartão de crédito na página da campanha no site da Funcamp. A ideia é que os itens que vão compor as cestas sejam adquiridos em comércios locais, como forma de incentivar os pequenos comerciantes. Também podem ser feitas doações pelo aplicativo iFood. Na aba “Perfil”, os usuários devem selecionar o campo “Doações”. Os valores são destinados à ONG Ação da Cidadania, que os converte em cestas básicas entregues ao Banco de Alimentos de Campinas.

Outro realização da Depi buscando colaborar com o trabalho da SMASDH é elaboração de um mapa onde as famílias cadastradas para o auxílio podem ser identificadas por meio do georreferenciamento. De acordo com Marco Aurélio, este é um recurso já empregado dentro do campus da Unicamp para auxiliar no planejamento estratégico da universidade e pode contribuir com a secretaria para dinamizar o atendimento das famílias e organizá-lo de forma segura. “É um planejamento que precisa ser feito com cuidado, para ser algo seguro. Então você coloca essas famílias nos mapas e vê quantas podem ser atendidas em cada região sem gerar aglomerações”, explica.

Já no início, a ação contou com uma doação de R$ 1,2 milhão realizada pelo Itaú Social. Outras empresas e instituições parceiras também realização contribuições para a campanha. O Laboratório Von Braun, que trabalha com sistemas de Internet das Coisas (IoT), deve criar um sistema de vouchers eletrônicos para facilitar a aquisição das cestas básicas pelas famílias atendidas pela SMASDH. Já o Projeto COMEMOS pretende destinar lucros obtidos com a venda de kits de alimentos para a Campanha Unicamp Solidária. Confira no site da campanha mais detalhes sobre essas diferentes ações.

Ensino: alunos conectados

Com o objetivo de garantir que alunos de graduação e pós-graduação continuem suas atividades acadêmicas, tenham acesso a notícias e possam participar das discussões durante o período de suspensão das atividades presenciais, o Observatório de Direitos Humanos da Unicamp coordena a entrega de computadores, laptops e tablets a estudantes cadastrados para receber o auxílio. A entrega é feita segundo critérios socioeconômicos, priorizando alunos de baixa renda, que não dispõem de equipamentos ou acesso à internet. O cadastro para receber esse auxílio pode ser feito por meio deste formulário.

A distribuição teve início no dia 8 de abril. São equipamentos que estavam disponíveis nas unidades da Unicamp e que poderiam ser emprestados, além de outros que foram adquiridos com recursos de doações feitas à universidade e também equipamentos doados por professores, funcionários e membros da comunidade. Com o retorno das atividades presenciais após o período de quarentena, eles deverão retornar à universidade. Também são disponibilizados aos alunos chips com 10 GB de internet móvel por mês, para garantir o acesso à internet.

A área e ensino também recebe doações financeiras para a aquisição de computadores, tablets e contratação de planos de internet aos estudantes carentes. Depósitos financeiros podem ser feitos na conta: Banco do Brasil, 001, Agência 4203-X, Conta Corrente 44.426-X, CNPJ 46.068.425/0001-33 (UEC/coronavirus). Identificar no depósito, se possível: GR/voluntariadoUNICAMP. Também é possível contribuir com doações e empréstimos de equipamentos. Veja aqui as orientações de como proceder.

Por Felipe Mateus, da Ascom Unicamp