Geocodificação dos bancos de dados da Unicamp

O processo de geocodificação consiste na transformação de informações alfanuméricas em informações georreferenciadas, que possibilitam a criação de mapas temáticos.

As informações de entrada podem ser coordenadas geográficas (latitude, longitude), endereços (logradouros), códigos postais (CEP) ou recortes territoriais (bairro, cidade, estado país), que normalmente (mas não necessariamente) são organizadas em planilhas eletrônicas.

As plataformas de geoprocessamento possibilitam a transformação destas informações em camadas geográficas, compostas por uma informação geométrica (pontos georreferenciados) e uma informação tabular (atributos), que são indissociáveis. Após a criação da camada geográfica, é possível construir web maps temáticos, story maps, dashboards, entre outros aplicativos, com a utilização da plataforma ArcGIS.

Bancos de dados da Unicamp e geocodificação:

A Unicamp possui diversos sistemas de informação e bancos de dados das mais diversas naturezas e funções, refletindo a diversidade de áreas de atuação da Universidade e a organização de todo o seu acervo de dados.

A Coordenadoria de Georreferenciamento está transformando em mapas os principais bancos de dados da Unicamp, possibilitando um olhar nunca antes visto da Universidade. Visualizar dinamicamente a distribuição espacial de funcionários, alunos, professores, pacientes dos hospitais, vestibulandos etc. com mapas temáticos, mapas de calor, cruzamento de camadas, entre outros formatos, fornece novos subsídios à gestão da Universidade (nos mais diferentes níveis), ao planejamento territorial (em qualquer escala) e à transparência.

Story map dos vestibulares 2012 e 2018

Story map dos vestibulares 2012 e 2018

Story map dos vestibulares 2012 e 2018

ACESSE AQUI